Instituto TIM   English

No ano em que completou três anos de atuação, o Instituto TIM envolveu cerca de 450 mil pessoas por meio de 10 projetos e do apoio a museus e centros de ciência e tecnologia. Em 2016, pela primeira vez, as iniciativas chegaram a todos os estados do Brasil e ao Distrito Federal. Desde julho de 2013, quando foi criado, o Instituto TIM já envolveu mais de 1 milhão de pessoas.

Entre os destaques deste ano, o projeto TIM Tec foi um dos vencedores do Prêmio ARede Educa 2016, que reconhece iniciativas públicas e privadas de inserção das novas tecnologias nos ambientes educacionais. TIM Tec ficou em 3º lugar na categoria Plataformas Educacionais da modalidade Sociedade Civil. Além da premiação, o MOOC TIM Tec conquistou 26 mil novos usuários e o software foi adotado por 17 novas instituições.

Os projetos contemplados pelo edital de apoio a museus e centros de ciência e tecnologia começaram suas atividades em 2016. O edital é resultado de uma parceria entre o Instituto TIM e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Foram 50 projetos selecionados (de um total de 201 recebidos) de 18 estados. Cerca de 300 mil pessoas já foram envolvidas nas atividades.

ZUP RIO, instalação do software livre ZUP no Centro de Operações Rio (COR), foi empregado durante as Olimpíadas e as Paralimpíadas do Rio de Janeiro. Trezentos agentes de campo usaram o sistema para fazer a gestão da cidade durante os Jogos. Mais de mil relatos geraram algum tipo de ação da Prefeitura e mais de 90% foram informados e resolvidos através de ZUP.

Em 2016, sete novas instalações de Mapas Culturais entraram em operação (estados de São Paulo e Mato Grosso, Distrito Federal e municípios de Belo Horizonte, Ubatuba e Parnaíba, além das cidades da Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina – AMUNESC) e a plataforma agora está disponível em aplicativo. Além disso, foram realizados o 1º e 2º Encontros de Desenvolvedores e o projeto participou de vários eventos, como o 1º Congresso Online de Gestão Cultural, o encontro State of the Map Latam e o curso Plataformas Digitais Colaborativas, do Sesc São Paulo.

Ainda neste ano, mais 50 estudantes universitários foram contemplados pelas Bolsas Instituto TIM-OBMEP, que têm duração de 12 meses e são renováveis anualmente até o limite de 48 meses. Os bolsistas são medalhistas da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) que necessitam de auxílio financeiro para poder cursar a faculdade. Durante a Cerimônia Nacional de Premiação da OBMEP 2015, foram anunciadas mais 50 bolsas, que serão oferecidas a partir de 2017.

Graças à parceria entre o Instituto TIM e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o sistema Busca Ativa Escolar – Fora da Escola Não Pode! começou a ser utilizado em formato piloto em oito municípios e 14 crianças já foram reinseridas na escola.

Em 2016, após quatro edições, o projeto Agentes da Transformação investigou todas as comunidades com UPPs do Rio de Janeiro. Para celebrar o encerramento da iniciativa, o Instituto Pereira Passos e o Instituto TIM lançaram a publicação Cadernos da Juventude, que reúne dados coletados pelos jovens moradores sobre a juventude de suas comunidades.

Além disso, o Instituto TIM continuou presente em salas de aula e universidades de todo o país em 2016. Do programa TIM Faz Ciência, voltado à educação em ciências para turmas de 4º e 5º anos do Ensino Fundamental, participaram 136 mil alunos e 4.700 professores de 115 cidades brasileiras. O Círculo da Matemática do Brasil formou 2.110 professores em 23 cidades participantes, além de envolver diretamente 5.700 alunos. Voltado a estudantes universitários em fase de conclusão de curso, Academic Working Capital teve sua segunda edição em 2016, com 27 projetos aprovados e 72 estudantes participantes.

Tags: