Instituto TIM   English

 

QUEM SÃO E O QUE PENSAM OS JOVENS DAS COMUNIDADES DO RIO DE JANEIRO?

Agentes da Transformação é um modelo de capacitação e coleta de dados de qualidade por meio de pesquisas de campo realizadas por jovens de comunidades do Rio de Janeiro-RJ.

O projeto é realizado em parceria com o Instituto Pereira Passos (IPP), órgão da Prefeitura do Rio de Janeiro, e se divide em dois eixos:

  1. Capacitação em pesquisa de campo dos bolsistas do projeto – estudantes do Ensino Médio da rede pública, moradores das comunidades pesquisadas.
  2. Realização de uma pesquisa domiciliar de grande porte e com rigor estatístico, capaz de traçar o perfil socioeconômico da juventude nas comunidades com Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) instaladas.

Cada bolsista entrevista 50 jovens de 14 a 24 anos e registra as informações em tablets com o software livre Para Pesquisa instalado. O projeto culmina na formatura dos pesquisadores, quando as equipes de cada comunidade apresentam os resultados do estudo. A pesquisa é compartilhada com órgãos públicos, empresas e instituições do terceiro setor.

Todas as comunidades cariocas com UPPs foram pesquisadas pelo projeto.

Acesse as pesquisas de cada ano do projeto: 2013, 2014, 2015 e 2016
Conheça os Cadernos da Juventude Carioca, publicação que consolida os resultados de todas as edições de Agentes da Transformação

 

 

QUAL É O CENÁRIO EM QUE O PROJETO SE INSERE?

No município do Rio de Janeiro, 1,4 milhão de pessoas moram em favelas. Essas comunidades têm um traço que as distingue do resto da cidade: a pirâmide etária tem a base ampliada na comparação com a cidade formal – ou seja, sua população é mais jovem que a do resto da cidade.

A partir de 2008, quando Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) começaram a ser instaladas nas comunidades cariocas, entender quem são e o que pensam seus moradores tornou-se uma necessidade – não só para a formulação de política públicas eficientes, mas também para orientar ações da iniciativa privada.

Agentes da Transformação supre a urgente necessidade por informações de qualidade com recorte específico nas comunidades com UPPs, gerando dados oficiais que servem de insumo a políticas públicas. Ao mesmo tempo, atende a uma demanda de qualificação profissional e inclusão produtiva em pesquisa de campo.

 

 

LINHA DO TEMPO

2012

  • Realização da ação Fala, Comunidade!
    • Iniciativa realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Urbanismo do Rio de Janeiro e o programa UPP Social, coordenado pelo IPP
    • O objetivo era ampliar a participação popular na escolha de novos nomes para quatro das principais vias da comunidade da Rocinha
    • A coleta dos votos foi feita por jovens bolsistas, moradores da própria comunidade, que passavam de porta em porta e registravam as informações em uma solução tecnológica instalada em um tablet

2013

  • Criação do projeto Agentes da Transformação, replicando a metodologia da ação Fala, Comunidade!
  • Desenvolvimento do software livre Para Pesquisa
  • 100 jovens de 10 comunidades coletaram 6 mil questionários
    • Comunidades pesquisadas: Providência (Centro); Prazeres (Santa Teresa); Cidade de Deus (Zona Oeste); São Carlos (Estácio); Tabajaras (Zona Sul); Pavão/Pavãozinho (Zona Sul); Vidigal (Zona Sul); Nova Divinéia (Grajaú); Borel e Formiga (Tijuca)

2014

  • 2ª edição de Agentes da Transformação
  • 70 jovens de 7 comunidades coletaram 3,5 mil questionários
    • Comunidades pesquisadas: Batan (Batan), Unidos de Santa Tereza (Fallet/Fogueteiro/Coroa), Salgueiro (Salgueiro), Morro Santa Marta (Santa Marta), Parque Oswaldo Cruz (Manguinhos), Mangueira (Mangueira) e Morro São João (Lins)

2015

  • 3ª edição de Agentes da Transformação
  • 120 jovens de 18 comunidades coletaram 6 mil questionários
    • Comunidades pesquisadas: Morro do Adeus, Morro da Baiana e Morro do Piancó (Complexo do Alemão); Barreira do Vasco; Parque Boa Esperança (Caju); Chapéu Mangueira/Babilônia; Dois de Maio (Jacarezinho); Parque Roquete Pinto (Maré – Roquete Pinto); Morro do Timbau (Maré – Timbau); Morro dos Macacos; Morro da Fé, Morro do Sereno e Rua Frey Gaspar (Complexo da Penha); Bispo, Rodo, Pantanal (Complexo do Turano); Vila Arará; e Nova Kennedy (Vila Kennedy)
  • Parceria com a Plataforma dos Centros Urbanos, iniciativa coordenada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF)
    • O UNICEF participou da elaboração do questionário e da formação dos pesquisadores

2016

  • 4ª edição de Agentes da Transformação
  • 50 jovens de 5 comunidades coletaram 2,5 mil questionários
    • Comunidades pesquisadas: Rocinha; Morro da Cachoeira Grande; Cachoeirinha; Dona Francisca (Complexo do Lins); e Nova Holanda (Maré).
  • Continuidade da parceria com a Plataforma dos Centros Urbanos
  • Lançamento dos Cadernos da Juventude Carioca

 

 

RESULTADOS E CONQUISTAS

O percurso de Agentes da Transformação se encerra com a formatura dos pesquisadores, quando cada equipe é convidada a compartilhar os resultados do estudo.
Saiba mais: IPP e Instituto TIM divulgam dados – Formatura 2013
Agentes da Transformação se formam – Formatura 2014
Formatura dos bolsistas de Agentes – Formatura 2015
Agentes forma 50 bolsistas em 2016 – Formatura 2016

Em 2014, Agentes da Transformação foi vencedor do Prêmio ARede na categoria Conteúdo de Interesse Público, na modalidade Setor Privado. A premiação é uma iniciativa da Revista ARede e busca valorizar e dar visibilidade a iniciativas de inclusão social que utilizam as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs).
Saiba mais: Projeto do Instituto TIM vence prêmio

De 2013 a 2016, Agentes da Transformação impactou a vida de 340 jovens, selecionados para conduzir as pesquisas. Eles foram capacitados em pesquisa de campo e alguns seguem trabalhando com causas sociais.
Saiba mais: Jovens contam como Agentes mudou suas vidas