Instituto TIM   English

Mapas Culturais é uma ferramenta que permite organizar informações sobre agentes, espaços, eventos e projetos culturais em um município, estado ou país, fazendo um mapeamento desses dados. A plataforma pode ser alimentada e consultada por gestores públicos e cidadãos de maneira colaborativa, gerando em um único sistema um banco de dados sobre a cultura local. O acesso a essas informações contribui para a criação de políticas públicas mais eficientes e para que a população divulgue, conheça e participe da produção cultural de sua localidade.

Como todas as soluções tecnológicas desenvolvidas pelo Instituto TIM, Mapas Culturais é um software livre.

Mapas Culturais foi desenvolvido em 2014 em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, o primeiro município a instalar a plataforma. Em 2017, o Ministério da Cultura passou a disponibilizar a plataforma no modelo SaaS (software como serviço) a todos os estados e municípios interessados em implementá-la.

Saiba mais sobre o projeto Mapas Culturais
Acesse o Manual Mapas Culturais, que explora o uso da plataforma por gestores públicos e agentes culturais
Acesse o artigo Mapas Culturais, apresentado no I Congresso Online de Gestão Cultural

 

 

 

COMO FUNCIONA

As secretarias municipais e estaduais e outros órgãos públicos que desejam ter uma instalação de Mapas Culturais podem fazer isso de duas formas: baixar o código-fonte e realizar a instalação e customização da plataforma em um servidor próprio ou aderir ao modelo SaaS disponibilizado pelo Ministério da Cultura, com custo zero de infraestrutura e configuração. Também há a opção de criar um aplicativo para que a população confira a agenda cultural de sua localidade.

Por meio da ferramenta, tanto gestores públicos quanto cidadãos podem cadastrar e consultar informações sobre agentes, espaços, eventos e projetos culturais de sua cidade ou estado. Além disso, a plataforma oferece diversas funcionalidades aos gestores: a criação de registros oficiais da secretaria, que podem ser listados a partir de um filtro; o lançamento de editais na própria ferramenta, incluindo o controle da lista de inscritos e a divulgação dos resultados; a exportação dos dados em planilhas CSV para a elaboração de relatórios, entre outras utilidades. Para agentes culturais, a plataforma dá visibilidade ao seu trabalho e permite conhecer outras iniciativas.

Todas as instalações que forem criadas utilizando o modelo SaaS têm seus dados automaticamente integrados com o Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC) do Ministério da Cultura, que também utiliza o software Mapas Culturais. Os estados que aderirem a este modelo podem permitir que os municípios criem suas instalações via SaaS a partir do mesmo domínio, também com integração de dados.

 

 

 

TECNOLOGIAS

A solução é composta por um software (dividido em back-end e front-end) e por um aplicativo voltado para iOS e Android.

Back-end: Slim Framework (PHP) e banco de dados PostgreSQL
Front-end: framework Angular (JavaScript)
Aplicativo: framework cross-platform Cordova (iOS e Android)

Todas essas tecnologias são livres.

 

 

 

ACESSO AO CÓDIGO

Mapas Culturais é um software livre (Licença AGPL v3). Programadores e desenvolvedores podem acessar o código-fonte, utilizar e alterar a ferramenta da forma que quiserem, com o fim que quiserem, gratuitamente.

Os códigos-fonte podem ser consultados no GitHub:

• Software: github.com/hacklabr/mapasculturais
• Aplicativo: github.com/hacklabr/mapasculturais-app