Instituto TIM   English

Um dia de muita reflexão, troca de experiências e, de quebra, a primeira oportunidade para o público geral conhecer as soluções do programa Academic Working Capital 2019. Foi o que aconteceu no evento “A Universidade como Plataforma para o seu Negócio”, realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo, no dia 18/08. Enquanto os universitários expunham suas propostas na Feira de Soluções, empreendedores, executivos do mercado, gestores e acadêmicos discutiam sobre temas como o desafio de aproximar a inovação na universidade das empresas, investimento-anjo e a relação entre grandes empresas e startups.

Ao longo de toda a programação, os visitantes foram convidados a visitar a Feira de Soluções para conversar com os participantes do AWC e dar feedbacks.

Crédito: Lucas Galli

Crédito: Lucas Galli

As primeiras discussões focaram no desafio de aproximar a universidade e as empresas. Silvia Takey, sócia e diretora executiva da DEV Tecnologia, empresa nascida na USP, compartilhou sua trajetória e o pesquisador Daniel Pimentel, diretor do programa Emerge, falou sobre a experiência de trabalhar para que a ciência feita nos laboratórios vá para o mercado. Depois, Rubens Approbato (Poli Angels), Ana Paula Blanco (MIT Angels e Poli Angels) e Ricardo Oliveira (Poli Angels e Anjos do Brasil) conversaram sobre investimento-anjo.

A última palestra contou com Paulo Braga, gerente de Corporate Venture na Eurofarma, e com a presença dos executivos da TIM Janilson Bezerra, diretor de Inovação e Desenvolvimento de Negócios, e Alexandre Dal Forno, diretor de Produtos Corporativos e IoT (Internet das Coisas).

Janilson lembrou que a revolução digital começou a habilitar novas formas de negócio. Segundo ele, empreendedores de sucesso constroem negócios – e não tecnologias ou produtos – e o valor real da criação está na entrega de novas experiências. “Não tem como transformar sem de fato mudar”, resumiu o executivo, que lidera uma frente voltada para a inovação aberta na TIM. Já Alexandre Dal Forno falou sobre como IoT pode ser uma mola para acelerar o relacionamento entre empresas e startups, especialmente em relação ao agronegócio.

Crédito: Lucas Galli

 

Workshop II
O fim de semana foi de muito trabalho para os grupos do AWC. Além da Feira de Soluções, no dia 17 e na manhã do dia 18 eles participaram do segundo workshop do programa, durante o qual se aprofundaram nos requisitos de suas soluções. Para isso, os grupos refletiram sobre a necessidade do usuário, do negócio e sua capacidade tecnológica; exploraram as melhores saídas para os desafios levantados; e decidiram os caminhos a seguir. As discussões foram ampliadas com a presença de especialistas técnicos, que ajudaram a pensar nos requisitos e apontar opções. Além das orientações da Equipe AWC e dos momentos “mão na massa”, os empreendedores assistiram a uma palestra de Mauricio Villar, sócio fundador e COO da Tembici, empresa que opera bike share no Brasil com o patrocínio do Itaú; e de Ana Levy, VP de Estratégia da Kickante, que falou sobre financiamento coletivo.

As atividades do workshop foram essenciais para que os estudantes estivessem preparados para a Feira de Soluções. “Estabelecemos um desafio: ‘amanhã [18/08] vocês estarão na Avenida Paulista mostrando suas soluções para o mundo. Então elas têm que fazer sentido’”, resumiu o diretor de Environmental, Social & Governance da TIM, Marcio Lino. “Cada vez mais temos visto soluções voltadas para agronegócio usando a tecnologia móvel como vetor. A TIM está no caminho certo como organização e o Instituto TIM está no caminho certo ao apoiar o empreendedorismo dentro das universidades.”

 

Notícias relacionadas
Manter ou pivotar? Dia decisivo para grupos de AWC
NextCam, criada durante AWC 2018, ganha prêmio
AWC 2019: Workshop I inicia a trajetória deste ano

 

Tags: