Instituto TIM   English

No dia 26/09, a baiana Anna Luísa Bezerra, idealizadora da startup Aqualuz, criada durante o programa Academic Working Capital 2018, se tornou a primeira brasileira a conquistar o Prêmio Jovens Campeões da Terra, da Organização das Nações Unidas (ONU), na categoria América Latina e Caribe. O prêmio foi dado durante a Cerimônia dos Campeões da Terra, que ocorreu em paralelo à 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas e à Cúpula de Ação Climática em Nova York.

A Cerimônia dos Campeões da Terra, que ocorre anualmente desde 2005, premia jovens entre 18 e 30 anos que são agentes de mudanças e têm projetos empreendedores com potencial para criar impacto ambiental positivo. Anna Luísa e outros sete vencedores de diversas regiões do mundo irão receber US$ 15 mil em capital semente, US$ 9 mil como subsídio para comunicar suas ideias, além de mentorias para suas soluções.

A cantora Angélique Kidjo e o ator Alec Baldwin foram os apresentadores da cerimônia. “Esses maravilhosos defensores do meio ambiente são a prova viva de que a crise de hoje é uma oportunidade para soluções inovadoras, abordagens novas e lideranças inspiradoras”, apresentou Kidjo. A diretora executiva do PNUMA, Inger Andersen, completou: “Estamos celebrando empreendedores que põem a sustentabilidade no topo da sua estratégia de negócios, pioneiros que usam tecnologias para proteger nossos frágeis ecossistemas.”

Em seu discurso de agradecimento, Anna Luísa falou sobre o que entende como “sua missão”. “Todos nós sabemos que pessoas estão morrendo devido ao consumo de água não potável. É por isso que eu desafio vocês a me acompanharem na luta contra isso. Nós já temos as ferramentas. Aqualuz é uma delas.” A startup propõe um sistema de filtragem de água baseado na luz solar, voltado para o Semiárido, e que funciona através da coleta da chuva em cisternas – uma tecnologia única do mundo. O filtro possui um indicador que muda de cor quando a água está pronta para beber. O dispositivo tem vida útil de até 20 anos, é de fácil manutenção e higienização. Cerca de 265 pessoas já obtêm água potável por meio da tecnologia da Aqualuz, que planeja alcançar 700 pessoas até o fim do ano.

Anna Luisa foi uma das participantes de Academic Working Capital em 2018. “O programa abriu portas incríveis e mesmo depois do término do nosso período de acompanhamento oficial, continuamos recebendo muito apoio do AWC e do Instituto TIM. Os resultados de hoje são todos frutos do treinamento e do suporte financeiro que recebemos”, conta Anna Luisa.

Assista à explicação de Anna Luisa sobre a tecnologia da Aqualuz que foi apresentada durante a premiação (em inglês):

 

Notícias relacionadas
AWC: Planejamento e organização na Interação II
AWC: Soluções são mostradas a players do mercado
Manter ou pivotar? Dia decisivo para grupos de AWC

 

Tags: