Instituto TIM   English

Em menos de um ano desde sua implementação no Rio de Janeiro (RJ), a plataforma ZUP já teve sua utilização expandida – e há a intenção de ampliá-la ainda mais. A instalação do software livre criado pelo Instituto TIM no município foi lançada em 1º de dezembro de 2015 com o nome ConservaZUP. A plataforma se tornou a ferramenta de cadastro e monitoramento de solicitações de serviços dos agentes da Secretaria Municipal de Conservação (SECONSERVA), que ganharam mais agilidade na realização de seus trabalhos.

“A plataforma começou totalmente dedicada para conservação. Todos os serviços que executamos, desde tapar buracos até criar um inventário dos monumentos da cidade para conservação e controle, foram informatizados por meio do aplicativo e da plataforma web. Foram mais de 1,2 mil monumentos inventariados”, conta Rodrigo Kemel, assessor chefe de TI da SECONSERVA.

Em junho, ConservaZUP foi ampliado e passou a se chamar ZUP RIO. A plataforma foi adaptada para a gestão de megaeventos e também começou a ser utilizada por agentes do Centro de Operações Rio (COR). As equipes do COR são deslocadas para as regiões onde acontecem os eventos, de acordo com o fluxo de espectadores, para monitorar os locais e relatar ocorrências. “As informações chegam via aplicativo e acompanhamos minuto a minuto o que está acontecendo”, diz Rodrigo. A plataforma é integrada a outros dois sistemas utilizados pelo COR e os dados são fundidos. “Com um simples toque de botão, consigo jogar as informações de ZUP no painel de operações do COR.”

ZUP RIO já registrou mais de 7 mil relatos das equipes da SECONSERVA e mais de 700 dos agentes do COR. “Demos um pulo muito grande em relação à tecnologia. Ganhamos muito mais tempo, operacionalizamos as demandas e economizamos verba”, relata Rodrigo. A mobilidade foi um dos diferenciais da plataforma destacados pelo assessor chefe. “Temos várias ferramentas de gestão dentro da Prefeitura, e ZUP é a única a que temos acesso externamente. Podemos reportar ocorrências de qualquer lugar da cidade com o aplicativo, além de incluir imagens, descrições e georreferenciamento”, acrescenta.

A SECONSERVA e o COR estão estudando a possibilidade de expandir o uso da plataforma para outros órgãos municipais. A ideia é que os próprios cidadãos possam ter acesso ao aplicativo para a solicitação de serviços, o que ocorre hoje por meio da Central de Atendimento ao Cidadão 1746. “ZUP vem se apresentando como uma ferramenta sólida, e esperamos que possa se tornar a principal ferramenta da Prefeitura para se relacionar com o cidadão”, diz Rodrigo. As equipes estão avaliando a viabilidade e pretendem conversar com outros órgãos sobre a proposta.

ZUPRIO_13 ZUPRIO_07ZUPRIO_22

Tags: