Instituto TIM   English

Celulares, tablets e smartphones fazem parte da vida da maior parte dos jovens. De acordo com a pesquisa TIC Kids 2013, divulgada pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), do Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI.br), 21% das crianças e jovens de 9 a 17 anos acessam a Internet pelo celular e 2%, pelo tablet. A pesquisa “O que pensam os jovens de baixa renda sobre a escola”, realizada pela Fundação Victor Civita em 2013 nas cidades de São Paulo e Recife, mostrou que 60% dos jovens de baixa renda estudantes do ensino médio possuem smartphones.

Em 2014 o Instituto TIM apoiou o projeto CDI Mobilidade, do Comitê para a Democratização da Informática (CDI) – organização fundada em 1995 que utiliza a tecnologia como ferramenta para o desenvolvimento social. O projeto teve como objetivo ensinar jovens socioeconomicamente desfavorecidos do Rio de Janeiro a utilizar smartphones para enfrentar desafios de suas comunidades. 59 instituições foram selecionadas para participar do projeto, tornando-se CDIs Comunidade. Um educador de cada instituição participou do curso “Plano de Formação dos Educadores da Rede CDI”. Os educadores formados se tornavam multiplicadores do CDI Mobilidade, já que eles é que davam o curso “Desenvolvimento de Aplicativos Móveis” em suas comunidades.

Mais de 2000 jovens participaram das formações, nas quais eram convidados a pensar em soluções que resolvessem problemas cotidianos relacionados a reciclagem de lixo, infraestrutura, abuso ou violência, etc. utilizando ferramentas de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC). Foram desenvolvidas mais de 200 ideias de aplicativos. As 22 melhores ideias foram selecionadas para participar de um evento de premiação, realizado no Instituto Infnet, no Rio de Janeiro.

 

 

1º lugar: Douglas Gomes e Felipe da Silva – aplicativo para que crianças com câncer possam se distrair com livros, músicas, jogos e vídeos durante o tratamento.
2º lugar: Luiz Otávio dos Santos – aplicativo que ensina a fazer e soltar pipas.
3º lugar: Pedro Paulo de Almeida – aplicativo para mapear irregularidades encontradas nas ruas da cidade e oferecer soluções de mobilidade para pessoas com deficiência.