Instituto TIM   English

Em Boa Vista (RR), nove secretarias e órgãos municipais, além do projeto Família que Acolhe, aderiram à plataforma VcBV, instalação de ZUP na cidade, para auxiliar na gestão pública. O município realizou o lançamento da plataforma no dia 2 de dezembro de 2015 e a utiliza para diferentes finalidades. Uma delas é registrar as solicitações dos cidadãos feitas pelo telefone 156.

“Todos os órgãos de atendimento público da Prefeitura utilizam VcBV. Através do 156, o telefone de atendimento da Prefeitura, o cidadão faz o seu relato, os atendentes inserem os dados no VcBV e as secretarias responsáveis realizam os serviços e atualizam os dados via aplicativo”, explica a secretária municipal de Inclusão Digital, Amanda Sanguanini.

A ferramenta de inventários do sistema é utilizada pela Secretaria Municipal de Gestão Social para inventariar as famílias que participam de programas sociais do município. A ferramenta registra os dados das pessoas, a situação atual e todas as informações necessárias para o acompanhamento e atendimento da família. Em janeiro, o inventário também foi usado para mapear focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, do chikungunya e do zika vírus. “Eram várias equipes atuando em locais diferentes e facilitou bastante, porque conseguimos, ao final da ação, ter todos os dados em um só lugar”, conta a secretária.

A equipe de Vigilância Sanitária tem o apoio de um aplicativo – que também faz parte de ZUP – voltado à fiscalização para registrar informações dos estabelecimentos fiscalizados. Com o uso de tablets, os agentes conseguem tirar fotos dos estabelecimentos e inserir no sistema. Para Amanda, isso facilita o processo de fiscalização e evita que as informações sejam contestadas, já que gera provas das ocorrências. “A transparência no trabalho da Prefeitura ficou mais evidente.”

O sistema VcBV já registra mais de 22 mil relatos cadastrados em 87 categorias de serviços. A rapidez em obter informações e a possibilidade de fazer o georreferenciamento são alguns dos benefícios mencionados pela secretária. “Os gestores podem tomar decisões a partir do que está sendo relatado no sistema”, diz.

Amanda ainda destaca a facilidade de adaptar a plataforma de acordo com as necessidades dos órgãos municipais. Isso está sendo feito no momento para que o aplicativo de fiscalização possa ser usado nas áreas de meio ambiente e finanças. “Conseguimos adaptar ZUP para monitorar qualquer tipo de situação”, conta a secretária. Também está prevista a criação de um inventário dos postes de luz da cidade para verificar problemas relacionados à iluminação nas vias.

IMG_7797_resize IMG_7827_resize IMG_7568_resize

Tags: